quarta-feira, 30 de setembro de 2009

OMG News: Maradona contrata bruxo para tentar ajudar Argentina



Segundo imprensa paraguaia, treinador tenta desfazer suposto “trabalho” feito contra sua equipe.

Segundo o jornal Popular, do Paraguai, Maradona está apelando para as “forças ocultas” para tentar salvar a Argentina nas Eliminatórias para a Copa de 2010.

A publicação afirma que Dieguito contratou um bruxo para fazer um “trabalho” a fim de ajudar sua equipe a vencer o Paraguai, no Estádio Defensores del Chaco.

“Este misterioso personagem ajudou o Boca Juniors a ganhar a Copa Libertadores de 2006. Na ocasião, ele interviu na Casa Amarilla (sede da equipe) e na Bombonera”, explica o diário.

A atitude veio depois de consultar uma especialista em “forças ocultas” paraguaia, a professora Fanny, que garantiu que foram feitos “trabalhos” para que a equipe não vá a Copa de 2010.

“Seguramente em uma casa nos arredores do estádio Defensores del Chaco, foi feito um trabalho para que os jogadores não atuem bem, mas não creio que terá efeito. De toda maneira, há tempo até o meio-dia (desta quarta-feira) para desfazê-lo”, afirmou a especialista. Como diria o velho ditado: “no creo em las brujas, pero que los hay, hay”.

Fonte: Jovem Pan

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

OMG News: Pastor Anderson diz a Obama “Que morra e vá para o inferno”


O pastor Anderson, da Igreja Mundo Fiel, de Phoenix (Arizona), odeia Obama. Até aí, tudo bem, é seu direito. Abusando desse direito, já o chamou de “demônio socialista”, assassino, infanticida e outros injuriosos clichês da direita americana. Mas no dia 16 de agosto o reverendo extrapolou, arrematando sua odienta ladainha com uma incitação à morte do presidente. Anderson, disse-o com todas as letras, quer que Obama morra e vá para o inferno. Está no YouTube, como parte de uma entrevista que Rick Sanchez editou com o sulfúrico evangélico, para a CNN. Se o pastor tivesse feito algo parecido com George Bush, agentes de segurança do governo teriam batido em sua porta em menos de 24 horas.

Na plateia do pastor, Chris Broughton, aquele cro-magnon que, munido de um rifle AR-15, compareceria, no dia seguinte, ao centro de convenções da cidade para execrar pessoalmente um discurso do presidente. Broughton ficou no exibicionismo, para sorte do presidente e, também, do pastor, que, na hipótese de um atentado, poderia ser processado por incitamento à violência. O lanfranhudo já entrou no radar do FBI como um Lee Oswald em potencial.

Não está dando para piscar. Com seu efetivo reduzido à metade, os órgãos de segurança americanos cortarão um dobrado para enfrentar a atual onda de ameaças à integridade física de Obama. Já somam, em média, 30 por dia, 400% a mais do que Bush costumava receber. Por que tanto ódio a um presidente que, afinal de contas, não foi responsável por nenhuma das adversidades que há tempos corroem o prestígio, o moral e a economia da América?

Simples: Obama elegeu-se prometendo mudanças substanciosas e uma visão moderna e mais generosa de progresso, o que contraria grandes e arraigados interesses econômicos; no caso da reforma da saúde, os interesses de empresas de seguro, da indústria farmacêutica e de médicos e hospitais que tratam a saúde como uma commodity. Mais: Obama é negro, e o racismo ainda é uma força ativa, notadamente nos Estados do sul.

Além de negro, Obama tem a simpatia dos latinos, legal e ilegalmente estabelecidos no país, permanente motivo de pânico para os brancos que se julgam os únicos “americanos verdadeiros”, mas, como provam todas as projeções demográficas, serão minoria daqui a 30 anos. Por duvidar de tais projeções, para ela, manipuladas, a republicana Michele Bachmann, de Minnesota, propôs um boicote nacional ao censo de 2010, como se isso pudesse diminuir o número de latinos que efetivamente nascem e procriam na América.

Os latinos estavam, não por acaso, no centro do entrevero protagonizado pelo deputado Joe Wilson, na histórica quarta-feira em que Obama, pondo de lado sua porção Spock e assumindo o seu lado Rocky, como desejava a comentarista política do New York Times Maureen Dowd, finalmente chamou os republicanos na chincha. Obama jamais prometera incluir os imigrantes ilegais nas benesses de seu projeto para a saúde pública. Patranha do Wilson, que acabou levando a pior. Sem exclusão dos parlamentares que, dissimuladamente ou às escâncaras, pegando o celular, teclando o blackberry, abandonando o recinto ou dando vaias, engrossaram a chacrinha xenófoba; como se os latinos sem documentação só explorassem a economia do país, sem lhe dar nada em troca; como se não pagassem impostos sobre tudo o que consomem.

Wilson(foto) é da Carolina do Sul, assim como o senador Jim DeMint, que apostou que o plano do governo para a saúde seria “o Waterloo” de Obama. A Carolina do Sul é a Alagoas da América do Norte. Dias antes de a Guerra Civil estourar, um congressista da terra espancou com uma bengala um senador de Massachusetts que ousara criticar os escravistas do sul do país. Também era de lá o agressivo senador Strom Thurmond, que, diziam as más línguas, nunca tomou vodca por medo de virar comunista. Idem Mark Sandorf, aquele governador que mentiu para a mulher e flagraram com uma amante argentina, em junho deste ano, e o ex-governador e senador Ernest Hollings, que passou quatro décadas insultando abertamente negros e latinos. Hollings nem era republicano. Alguma coisa deve ter a água do Rio Savannah.

Fonte: Estadão

OMG News: Filme sobre Darwin não encontra distribuidor nos EUA


Ironicamente, o título do filme é Criação, mas é o evolucionismo que está a impedir que encontre um distribuidor nos Estados Unidos da América.

Algumas sondagens indicam que menos de metade dos americanos acreditam na teoria da evolução das espécies, elaborada por Charles Darwin há 150 anos.

Oposição ao evolucionismo é particularmente forte entre setores evangélicos da população americana. Um site que analisa filmes sob uma perspectiva cristã (evangélica), define Darwin como “um racista, cujo legado é o homicídio em massa”, e explica que a sua teoria influenciou diretamente Hitler, conduzindo a “atrocidades, crimes contra a humanidade, clonagem e manipulação genética”.

Darwin tem sido usado como símbolo do triunfo da razão sobre a fé, por muitos grupos e figuras anti-religiosos, como o cientista Richard Dawkins.

Na verdade, o pai da teoria da evolução confessou perder a sua fé em Deus após a morte da sua filha Annie, com apenas 10 anos de idade, mas demonstrou sempre muito respeito pela religião e a sua mulher era muito devota.

O Papa João Paulo II pôs fim a várias décadas de condenação oficial do evolucionismo, definindo-o como “mais do que uma teoria”, mas a Igreja continua a condenar uma visão estritamente darwinista da evolução, que vê esta como um processo absolutamente cego e à mercê dos acasos da natureza.

Fonte: Rádio Renascença

OMG News: Judeus usam galos e galinhas para expiar pecados às vésperas do Yom Kippur



“Esta é minha mudança, este é meu substituto, esta é minha expiação”, murmuram os fiéis judeus enquanto dão três voltas por cima de suas cabeças com um animal que, minutos depois, é morto como forma de expiar os pecados.

No ritual das Kaparot, uma expiação simbólica dos pecados, milhares de galos e galinhas são degolados em Israel para lembrar os judeus que, a qualquer momento, Deus pode tirar a vida como forma de compensação por seus pecados.

As mulheres usam galinhas; os homens, galos; e as grávidas, um exemplar de cada um. As Kaparot são vividas nos dias anteriores ao Yom Kippur, a data mais solene do judaísmo, destinada ao arrependimento e ao pedido de perdão.

“Neste momento do ano, que é nosso Ano Novo Judaico (Rosh Hashana), uma das coisas que fazemos é começar uma vida nova e refletir sobre o que fizemos no passado”, explica à Agência Efe o judeu de origem americana Menachen Persoff antes de fazer suas Kaparot.

“Pegamos uma galinha e dizemos: ‘Em vez de que eu seja castigado e destruído neste mundo, deixe que seja esta galinha’. E então temos que pensar que, quando essa galinha morre, poderíamos ter morrido em seu lugar”, acrescenta.

Para Persoff, as Kaparot são uma oportunidade para “ser uma pessoa melhor, pensar nas coisas que fizemos de errado e fazer as coisas de um jeito melhor no futuro”.

Depois que a ave escolhida – que deve ser branca, para simbolizar a purificação do pecado – é girada sobre a cabeça, o animal é degolado com um rápido e certeiro movimento com uma faca afiada cuja lâmina não pode ter a menor fenda, seguindo os preceitos judeus do “kashrut”.

Os penitentes costumam doar as aves mortas para a caridade se têm uma boa situação econômica. Caso contrário, as levam para comer em casa.

Alguns criticam os que comem ou doam as aves aos pobres ao entender que os pecados de quem toma parte no ritual foram transferidos ao animal e, portanto, este não deve ser comido.

Após o ritual, as vísceras das aves devem ser colocadas em algum lugar onde possam servir de alimento a outros pássaros, a fim de demonstrar piedade em relação a todas as coisas vivas.

“Nas Kaparot, rezamos para ser perdoados. Nos mostramos envergonhados diante de Deus e lembramos que ele pode nos tirar a vida, mas nos dá a oportunidade de pedir perdão”, aponta a judia ultraortodoxa Devorah Leah.

Para ela, esta tradição ajuda a “pensar com mais profundidade” sobre si mesmo e seus atos.

Na antiguidade, as Kaparot eram feitas com cabras, o que deu origem à expressão “bode expiatório”.

Hoje em dia, mamíferos não são usados, mas se não é possível ou não se quer usar galinhas ou galos, estes podem ser substituídos por qualquer outra ave, exceto pombos – para não lembrar os ritos de sacrifício no templo -, ou mesmo por um peixe.

Também são muitas as famílias que fazem as Kaparot com dinheiro que depois é doado aos pobres.

O fato de os rabinos permitirem que o rito seja celebrado sem necessidade de matar animais é o principal argumento das organizações defensoras dos animais contra esta prática, que consideram como cruel e abusiva.

“Muitos religiosos argumentam que não há motivo para fazê-lo com dinheiro quando se pode matar uma galinha, porque estas não sofrem. Mas isso não está certo. Todo mundo sabe que os animais têm sentimentos e querem viver, igual a nós”, diz Gene Peretz, uma jovem estudante vegetariana que se manifesta em Jerusalém contra o uso de animais vivos nas Kaparot.

Frente a esta postura, os seguidores da tradição, como Leah, argumentam que “os animais estão na terra para ser utilizados pelos seres humanos, sempre que seja de modo correto”, e que comer “os animais que Deus nos deu é uma forma de fazer com que o mundo seja mais espiritual”. EFE

Fonte: EFE

OMG News: R7 Bispo Edir Macedo diz que pessoas não vão mais precisar de notícias da “Rede Esgoto”


Palavras do Blog do Bispo Edir Macedo, sobre o lançamento do Portal R7.

“Você, caro internauta, que me acompanha no blog vai ganhar uma grande novidade. Tudo o que você precisa na internet agora em um só lugar, sem complicação. Tudo com uma linguagem direta e bastante acessível.

Estreia neste domingo o novo portal de notícias do Brasil: o R7.

O portal fará uma cobertura completa e ágil dos fatos do dia a dia, esporte, entretenimento, polêmicas, saúde, cultura no Brasil e no mundo.

O R7 também terá informações indispensáveis, como mapas e rotas, previsão do tempo e a situação, on line, do trânsito e dos aeroportos. Serviços e notícias em tempo real com a marca do jornalismo verdade da Record.

O bom do R7 é que a gente não precisa mais recorrer aos portais tendenciosos e aliados da rede esgoto para ter as últimas notícias.

E o meu blog também vai estar no R7. Espero todos vocês neste domingo, às 20 horas.

Anote aí o endereço: www.r7.com

Até lá!”

Confira um vídeo sobre o R7.


quarta-feira, 23 de setembro de 2009

OMG News: Artista cria escultura “parecida” com Jesus Cristo com 250 mil cristais Swarovski

Muitas obras de arte inspiradas e dedicadas a Jesus Cristo já foram feitas, mas a recente criação do artista Quinn Gregory se destaca pelo impressionante resultado final que o uso de materiais específicos garantiram à sua criação. Gregory apresentou uma escultura de Jesus Cristo incrustada com 250 mil cristais Swarovski.

A estátua, batizada de ‘Infinite Hope’, foi projetada para participar de um concurso de arte internacional, a ArtPrize, que dará ao vencedor US$ 500 mil. Para sua construção, o artista pesquisou alguns itens que, segundo ele, provocariam mais efeito. Baseado nas informações pinçadas, Gregory chegou a dados que indicavam a estatura física do “messias” e assim esculpiu sua obra e a anunciou como um “Jesus em tamanho natural”.

O esqueleto da peça é de cobre, mas a maior parte de sua construção foi feita em madeira, espuma e cristais. Para dar a aparência metalizada sem a necessidade de usar o metal – o que a tornaria muito pesada –, foi usado tinta. Só a estrutura levou 4 meses e meio para ser feita, ou seja, menos da metade dos mais de 10 meses que ele gastou para cobri-la com quatro diferentes tipos de cristais.

De acordo com depoimento do artista em seu site, o árduo trabalho foi compensador. “Acho que o brilho do meu Jesus cristalizado simboliza a fé e esperança que a religião traz”, disse. A escultura de Gregory está em exposição na Open Concept Gallery, de Michigan, nos Estados Unidos.

OMG News: Documentário “Dançando com o Diabo” mostra pastor como personagem.

Assista

Estréia no fim do mês o documentário “Dançando com o Diabo”, no Festival de Cinema do Rio de Janeiro. O longa mostra a complexidade das favelas cariocas na visão de três personagens ligados diretamente ao tráfico: um pastor, um policial e um criminoso.

De acordo com o pastor Dione dos Santos, 90% dos jovens que participaram do documentário estão mortos. O filme fala da complexidade e das contradições do crime organizado e da ajuda da religião.

Dançando com o Diabo custou 500 mil dólares. A ideia partiu do jornalista inglês Tom Phillips, correspondente do jornal “The Guardian”. Ele ficou um ano e meio visitando favelas do Rio depois de fazer uma reportagem com Dione. Assim teve acesso a Juarez Mendes da Silva, o Aranha, chefe do tráfico de quinze morros cariocas e que morreu logo depois de participar do filme.

A edição 2009 do Festival do Rio estará em toda a cidade de 24 de setembro a 8 de outubro.

O Festival do Rio é o maior festival de cinema do Brasil e da América Latina, com atenção e cobertura massivas da mídia. A cada ano, as principais produções dos festivais de Cannes, Sundance, Veneza e Berlim são apresentados ao público brasileiro durante o evento. Filmes inéditos no Brasil, com premieres internacionais, latino-americanas e nacionais, que confirmam a importância do Festival do Rio como porta de entrada para o cinema na América Latina e a maior vitrine para o cinema independente no Brasil.

Assista a reportagem do Fantástico sobre o documentário:


OMG News: Guerra das Emissoras, Matéria de capa no Folha Universal “Raiva dos evangélicos”

Sutiã e calcinhas sobre a Bíblia, cristã louca na novela e agora um pastor corrupto numa minissérie. Por que a Globo, que só transmite cerimônias do Vaticano, odeia tanto os evangélicos?

Desespero, medo, pânico de perder a hegemonia. São esses os fatores que motivam a “Rede Globo” a acusar e atacar, constantemente, a “Rede Record”, a Igreja Universal do Reino de Deus e o bispo Edir Macedo. Por consequência, a corporação dos Marinho também não perde nenhuma chance de ridicularizar e criticar os evangélicos, numa demonstração de intolerância religiosa que pode ser mais ou menos explícita. Essa falta de afinidade com o convívio democrático está presente não só nos noticiários como também em minisséries e novelas. É fato que a “Rede Globo” tem o monopólio na televisão cada vez mais ameaçado pelo crescimento da “Rede Record”. Para citar só um exemplo, o reality show “A Fazenda”, da “Rede Record”, por várias vezes, esteve na liderança em relação à emissora dos Marinho, mantendo diferenças de 3, 4 e até 5 pontos. A metralhadora de acusações e denúncias se vira contra a IURD e a “Record” justamente no momento em que a empresa se prepara para lançar o portal de internet “R7”, que competirá diretamente com sites do grupo “Globo”. Toda vez que a “Rede Record” investe num novo projeto, os concorrentes abrem enormes espaços nas grades de programação e nas páginas de jornais para atacar a Igreja Universal. Nada é por acaso.

As críticas contra os evangélicos, entretanto, são feitas pela “TV Globo” de forma constante. Alinhada à Igreja Católica sem, no entanto, admitir essa posição, a emissora dos Marinho coloca missas no ar, faz megacoberturas de eventos do Papa, apoia e promove shows de padres católicos. No campo da ficção, somam-se evidentes exemplos de preconceito contra evangélicos. A próxima temporada da série “Ó paí, ó”, da “Rede Globo”, vai explorar a imagem de um malandro que se transforma em pastor corrupto, que desvia dinheiro da igreja. O criminoso da ficção será interpretado pelo ator Matheus Nachtergaele. O expediente não é novidade.

Na novela “Duas Caras”, que foi ao ar no ano passado, Edivânia, uma evangélica interpretada pela atriz Suzana Ribeiro, incitava seguidores a atos de violência, organizou uma tentativa de linchamento e perseguiu com ódio os homossexuais. Retratada como fanática, rancorosa e extremamente intolerante, a atriz Suzana foi orientada a estereotipar o personagem e agir como louca nas gravações. Uma reportagem publicada na edição 833 da Folha Universal mostrou a indignação de líderes religiosos de várias denominações com a novela escrita por Aguinaldo Silva, que nega ser uma pessoa preconceituosa.

Em 1995, na minisérie “Decadência”, o ator Edson Celulari era Mariel, um homem que fica milionário 5 anos depois de fundar uma igreja. Mariel, além de ter casos amorosos com fiéis e obreiras da igreja, é baleado por outro pastor numa das cenas. Nesse mesmo programa, a emissora desrespeitou a Bíblia ao retratar o Livro Sagrado com um sutiã sobre ela. Representantes de várias igrejas evangélicas também se manifestaram contra o que consideraram uma perseguição. Distorcer a realidade usando a ficção é uma forma conhecida e velada de manipular o telespectador. Mas o telespectador percebe a verdade, reconhece os interesses presentes por trás das mensagens televisivas e, principalmente, não gosta quando tentam enganá-lo ou subestimá-lo.

A discriminação divulgada no youtube
O “youtube”, site de compartilhamento de vídeos da internet, traz uma série de vídeos que lembram como a “Globo” costuma discriminar os evangélicos. Um deles, com o título “Globo zomba de evangélicos” repercute o episódio de Edivânia, a evangélica apresentada como desequilibrada e insana na novela “Duas Caras”. O assunto, que expõe o preconceito religioso, mereceu destaque na revista “Veja” e foi discutido na “TV Record”, no programa “Domingo Espetacular”, que mostra como religiosos das mais diversas denominações se chocaram com a personagem caricata e agressiva. Entre líderes que chamam o personagem de aberração, que nada lembra os evangélicos, um deles, ligado à comunidade judaica, lembra que Hitler também começou a estereotipar os judeus para depois persegui-los. Também há humor nesses vídeos. Uma paródia do filme “A queda – as últimas horas de Hitler”, faz uma brincadeira para demonstrar como a “Globo” estaria desesperada com o avanço da “TV Record”.

Fonte: Folha Universal / Gospel Prime

terça-feira, 22 de setembro de 2009

OMG News: Regis Danese esclarece comentários sobre ausência em shows e denúncia em programa de TV

Com agenda de shows em todo o país, Regis tem sido alvo de comentários na internet que apontam a ausência do cantor em eventos contratados. Blogs, sites e fóruns comentam sobre quebra de contratos e alteração de valores acordados para apresentações, em decorrência de possível mudança da assessoria do cantor.

Menos de um ano após seu lançamento, o CD Compromisso, de Regis Danese, já havia alcançado mais de 1 milhão de cópias vendidas e a canção "Faz um milagre em mim" quebrado paradigmas da música gospel, sendo veiculada em rádios e TVs seculares no Brasil.

As críticas chegaram também à TV, em afiliada do SBT, na Bahia. O programa 'Na mira', apresentado por Uziel Bueno exibe a reclamação do produtor responsável pelo evento realizado em Madre de Deus, no dia 10 de junho. "A música é linda, mas o cantor... Santidade não tem aqui não. Tem o céu, tem o inferno e o 'Na Mira' no meio", diz o apresentador do noticiário policial, referindo-se à letra da canção "Faz um milagre em mim".

Em entrevista ao site Guia-me, Regis esclarece as afirmações e fala sobre sua posição após os comentários.

Guia-me: Regis, em blogs, sites e fóruns da internet, há comentários de que você não teria cumprido contratos de apresentações, faltando em shows; e até mesmo um video de programa de TV na Bahia onde foi feita uma denúncia sobre o show na cidade de Madre de Deus, onde você não esteve. Você tem conhecimento dessas afirmações?

Regis Danese: Sim, tenho. Acontece o seguinte, a gente vive do ministério. Então, esses eventos são bilhetados. Às vezes o contratante nem é evangélico, liga no escritório e faz o contrato e fica depois de pagar e não paga para a gente.

As afirmações falam também que com a mudança de assessoria, contratos com outros valores foram feitos e como as pessoas não puderam ajustar-se a eles, você não compareceu aos eventos.

Regis Danese: Não, não. Isso é mentira. A gente tem contrato assinado, tem tudo. Valor exato. Mas o que eles fazem? O contrato fala que a pessoa tem que depositar uma semana antes. Aí chega uma semana, cinco dias... A pessoa deixa para depositar no último dia, mas deposita em um envelope sem dinheiro. Então, coloca naquele envelope e diz: "Eu depositei". O valor fica lá vinculado, mas depois de dois dias, você vai ver e só tinha o papel, porque não havia dinheiro dentro.

Então, aconteceram vezes que a gente foi à cidade com este calote do envelope. A pessoa falou que depositou, depois passaram dois, três dias... A gente teve gastos, os músicos têm família. O baixista deixou de tocar com músico secular para tocar comigo, pai de família. Então, a gente sofreu muito com isso.

Hoje não acontece mais. Quando a gente vê que no dia do evento a pessoa depositou aquele negócio vinculado, é mentira.

Então, se você faltou é porque não cumpriram o contrato?

É, aconteceu isso aqui em São Vicente, uma pessoa que não pagou. Teve um em São Paulo, eu não lembro onde. Teve um em Governador Valadares, esse nem divulgou. No interior do Rio de Janeiro também não foi divulgado, porque estavam errados. Outro em uma cidade perto de Campos dos Goytacazes. Teve outra cidade de Minas recentemente, Montes Claros!

Agora esse da Bahia aconteceu o seguinte. Eu estava aqui em São Paulo gravando o programa do Netinho, tem mais ou menos uns dois meses, quando deu uma chuva que parou São Paulo, deu até na televisão, 290 km de trânsito. Eu estava neste trânsito, saí com três horas de antecedência lá do SBT da Anhanguera, fiquei três, quatro horas no trânsito, não consegui embarcar, deu overbooking, tive que pegar o vôo de outra Cia. Até o rapaz da outra Cia. foi muito legal, arrumou outro vôo, chegamos 1h da manhã. Esse rapaz da Bahia já estava nervoso, falou que queria matar o pessoal da banda. Aí o Jorge que trabalha comigo, disse: "Regis, não vem aqui porque está pesado. O cara vai querer te bater, te afrontar". Aí eu não compareci, fiquei no hotel, dormi, fui embora. No outro dia eu falei: "Você quer que faça o show no sábado? Sábado eu vou estar em Feira de Santana, que é 45km da cidade, a gente faz Feira e o seu". Ele disse: "Não, não, não quero mais".
Devolvemos o dinheiro para ele. Só que aí ele queria me estorquir, pediu mais um dinheiro para mim e falou que eu fosse fazer um show para ele de graça, senão ele ía na mídia, no Ratinho. Mas eu tenho o recibo.
Nós devolvemos o dinheiro para ele. Eu vou ficar com aquele dinheiro que não é meu? Ele não queria o show mais. Só que ele tentou me estorquir de tudo quanto é jeito, ligou nesses lugares, ligou no escritório e disse: "Eu já fui lá no programa da Bahia, se não der agora nós vamos no programa do Ratinho". Só que o Ratinho não permitiu, porque o Paulinho amigo do Ratinho já mandou o recibo para ele. Isso aí é mentira.

Uma advogada amiga nossa queria que eu processasse a televisão, mas eu falei: "Não, não, eu não vou processar. De jeito nenhum, eu não vivo disso, por causa de uma situação eu vou querer me aproveitar? ".

Mas vou lá na televisão, naquele mesmo canal, porque eu tenho direito de resposta, vou falar e não vou mais nem tocar no assunto. Vou dizer: "Meu irmão, infelizmente você foi infeliz de abrir um espaço para esse rapaz, de estar falando mal de mim sem ter prova".

A justiça pertence a Deus, é ele quem me justifica. Então é assim, muitas pessoas querendo aparecer. A gente encontra pessoas de todo jeito. Pessoas tentando se aproximar. Mas esse tipo de pessoa não prevalece.

Fonte: Guia-me

OMG News : Tati Quebra Barraco vira evangélica e comemora 30 anos com pastores

Tati, quem diria, já não anda mais quebrando o barraco. A funkeira, conhecida por cantar músicas com letras proibidonas, passou a frequentar uma igreja evangélica há seis meses e, desde então, virou outra pessoa.

Ontem, por exemplo, Tati Quebra Barraco comemorou 30 anos com um singelo almoço em sua casa ao lado dos pastores de sua nova igreja.

Ela ainda fez uma festa à noitinha, mas o regabofe não lembrou em nada as baladas que promovia em seu condomínio — e que deixava os vizinhos com os cabelos em pé. A autora dos clássicos “Me chama de cachorra” e “Dako é bom” recebeu apenas familiares e amigos íntimos.

Pessoas próximas à cantora dizem que Tati está mais calma e, consequentemente, menos barraqueira. A nova religião, no entanto, não mexeu com sua carreira: a funkeira ainda não tirou nenhuma música com duplo sentido do seu repertório.

Fonte: Extra online

OMG News : Marina Silva nega que tenha defendido o criacionismo

Num sinal de que vai trabalhar para se desvencilhar da imagem conservadora nas eleições de 2010, a senadora evangélica Marina Silva (PV-AC) negou, em entrevista ontem no programa Roda Viva, da TV Cultura, que tenha defendido publicamente o criacionismo, propôs um plebiscito sobre a descriminalização do aborto e afirmou que nunca teve uma posição radicalmente contrária aos transgênicos.

Evangélica, Marina é missionária da Assembleia de Deus e acumula em seu currículo batalhas como o combate à Lei de Biossegurança, que regulamentou o uso de transgênicos, e pesquisas com células-tronco no Brasil.

Apesar de desviar sucessivamente do rótulo de candidata na entrevista, Marina falou durante todo o programa como quem está decidida a concorrer em 2010. E reagiu às sucessivas perguntas sobre temas relacionados à sua religiosidade. "Quando eu fazia campanha para o presidente Lula, eu era escalada para tentar desmistificar a ideia de que ele, se ganhasse, seria contra a família, a igreja. Agora, estou tendo de me explicar porque tenho espiritualidade", queixou-se Marina. "As pessoas terem espiritualidade não significa que sejam obscurantistas."

Marina se viu em meio à polêmica sobre o criacionismo após participar de um seminário sobre o tema, em 2008. Na ocasião, a então ministra teria dito que é favorável a que a versão bíblica sobre a criação do mundo seja ensinada nas escolas ao lado do evolucionismo de Charles Darwin. Ao participar na segunda do programa Roda Viva, da TV Cultura, Marina afirmou que jamais fez essa defesa e disse ter havido um "equívoco". "Colocaram esse debate na minha boca", afirmou.

A senadora disse que foi mal compreendida após ser questionada sobre o fato de escolas adventistas incluírem no currículo o estudo do criacionismo. Ela destacou que, ao falar especificamente dessas instituições, declarou que os jovens poderiam fazer a escolha que julgarem mais sensata. "Eu nunca defendi o criacionismo", continuou a senadora. "Eu acredito em Deus e que Deus criou todas as coisas. Só isso."

Marina, que entre amigos não esconde sua posição contrária ao aborto, evitou polemizar sobre o assunto. Admitiu que esse debate envolve questões de saúde pública, mas disse que a complexidade do tema demanda uma discussão mais aprofundada. "Eu acho que deveria haver sim um plebiscito", prosseguiu. "Não posso simplesmente dizer que sou contra ou a favor." Marina acrescentou que não tem a visão dos que "simplesmente ficam satanizando" mulheres que recorrem a essa prática.

Por outro lado, a senadora colocou-se contra a descriminalização da maconha. Mas, ao comentar seu relacionamento com o colega de partido Fernando Gabeira (PV-RJ), que é favorável à tese, disse não condicionar suas alianças políticas a esse posicionamento. "Sou contrária à descriminalização, inclusive conversei sobre isso com o Gabeira. Mas o fato de ter uma posição contrária não me impediu de fazer a campanha para ele no Rio."

Marina também procurou explicar o fato de ter votado contra a Lei de Biossegurança. No caso dos transgênicos, por exemplo, a ex-ministra disse que era a favor de que o Brasil adotasse um modelo que contemplasse tanto o uso de sementes transgênicas quanto convencionais. "Eu não era contra um modelo em que existissem transgênicos. Eu era a favor de um modelo de coexistência", afirmou. Ela argumentou que pesquisas recentes demonstram, por exemplo, que o efeito da seca na soja transgênica é maior do que nas sementes convencionais.

Fonte: Estadão

OMG News : Polícia Federal liga Igreja Universal a doleiros do Banestado, diz jornal

Uma empresa sediada nas Ilhas Caymam e ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, recebeu no exterior recursos de doleiros envolvidos no escândalo da Beacon Hill Service Corporation (Beacon Hill Service Corporation).
Segundo a Polícia Federal, eles utilizavam um sistema clandestino de remessa de recursos que não passa pelo controle do Banco Central, informou reportagem do jornal "Folha de S.Paulo".
De acordo com uma investigação nos EUA, a Beacon Hill, que encerrou as atividades em 2003 por pressão do governo americano sob a acusação de restransmissão ilegal de fundos e ocultar os donos do dinheiro, possibilitando a sonegação fiscal e evasão de divisas. A investigação americana sobre a Beacon Hill foi iniciada a partir das descobertas da PF brasileira no escândalo do banco Banestado.
Pelos registros da empresa, ao menos U$ 1,8 milhão saíram, entre 1997 e 1998 da conta "Titia", controlada por doleiros brasileiros como uma subconta da Beacon Hill no banco Chase Manhattan, para uma conta aberta em nome da Cableinvest Limited no Royal Bank of Scotland (Nova York). Boa parte destes recursos voltou, dia depois para o Brasil como empréstimo da Cableinvest para a Unimetro Empreendimentos em operações de câmbio e se tornou dinheiro de origem "limpa", segundo a reportagem.
O jornal diz ainda que o Ministério Público de São Paulo aponta essas duas empresas como algumas das principais, em denúncia acolhida pela Justiça, como supostas peças no desvio de recursos arrecadados junto aos féis da igreja. A Cableinvest foi fundada por líderes da igreja, incluindo o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), que se desligou da empresa em 1999, um ano após as transações terem sido detectadas.
A reportagem informa que um inquérito foi aberto em 1999 com objetivo de apurar a responsabilidade penal dos diretores das duas empresas e como Crivella tem foro especial, o caso foi ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em 2006, o procurador-geral da República, Antônio Fernando Barros e Silva, pediu o arquivamento do inquérito. O pedido, acolhido pelo ministro Ricardo Lewandowski, não tratou das remessas entre 1997 e 1998, mas de outra denúncia, anterior às movimentações da conta "Titia".
O senador Marcelo Crivella disse ao jornal que a empresa Cableinvest é assunto "vencido", citando a decisão do STF. O advogado da Igreja Universal do Reino de Deus foi procurado, por telefone, mas não foi localizado.
Fonte: G1

OMG News : Cinzas do pastor Fanini serão levadas para Igreja Batista de Niterói

O corpo do pastor Nilson do Amaral Fanini, que morreu na madrugada da sexta-feira para o sábado, foi cremado nesta segunda-feira, nos Estados Unidos.

A Igreja Batista Memorial, a qual pertencia o pastor Fanini, divulgou a notícia da morte, na cidade de Houston, no Texas.

O pastor Fanini tinha 77 anos e sofreu um derrame cerebral. Segundo a Igreja Batista, depois da cremação, a viúva vai voltar ao Brasil, com as cinzas, para realizar uma cerimônia de despedida, marcada para o dia 3 de outubro, em Niterói.

Fonte: O Dia online

OMG News : Record rebate acusações de revista ligada a Globo em telejornal

O telejornal Domingo Espetacular rebateu neste domingo, denúncias de desvio de dinheiro de dízimo da Igreja Universal do Reino de Deus para investimentos na Rede Record. As denúncias foram feitas pela revista Época na edição desta semana. A reportagem, com cinco minutos de duração, ainda fez acusações contra a Rede Globo.

Segundo o texto da revista, o ex-pastor da Universal Gustavo Alves da Rocha afirmou que ouviu o bispo Edir Macedo instruir seus subordinados a depositar o dinheiro do dízimo em contas no exterior que seriam utilizadas para investimentos na TV Record.

Veja abaixo trechos da matéria da revista Época desta semana:

Como conheceu o bispo Edir Macedo
“Eu nasci no Rio de Janeiro, mas quando tinha 12 anos fui morar com uma tia em Londres. Uma tarde eu estava passeando com minha tia pelas ruas de Finsbury Park e vi um teatro. Resolvemos entrar. Na porta estava escrito apenas Teatro Arco-Íris. Aí eu vi um piano e, como sempre tive paixão pela música, pedi para tocar um pouco. Quem veio até mim foi o Edir Macedo. Ele me pediu para que eu tocasse “Yesterday”, dos Beatles. Ele elogiou e me perguntou: ‘Você sabe tocar música gospel?’. Eu respondi que não, mas consegui acompanhar no piano quando ele colocou umas músicas gospel para tocar no rádio. Ele disse que precisavam de um tecladista e eu, que tinha 16 anos, aceitei tocar todos os domingos em troca de algo em torno de R$ 50. Depois de uns quatro meses, minha tia procurou Edir Macedo para dizer que eu voltaria ao Brasil. Daí Edir veio com uma proposta: ‘Não, a gente vai ajudá-lo. Se você permitir, nós queremos investir nele. A igreja se propõe a pagar uma escola para ele aqui na Inglaterra’. A igreja pagou para mim por dois anos uma escola de idiomas, a London Capital College. Eu passei a morar na igreja e não tinha salário.”

A preparação para ser pastor
“Quando fui morar na igreja, eu dividia um quarto com outros obreiros. Passei a tocar todos os dias, fazia a limpeza do templo, a evangelização, distribuía jornal da igreja de porta em porta. Eu não tinha dinheiro para ligar para minha família no Brasil, nem no Natal. Fiquei praticamente confinado. Minha tia deixou de me visitar, achou que eu estava fanático. Eles fizeram comigo um processo de preparação para ser um futuro pastor. Quando chegava alguém à igreja para pedir um conselho, o bispo Macedo me chamava: ‘Senta aqui do meu lado para você conhecer os problemas do povo e aprender a orientar as pessoas’. Foram dois anos sentado ao lado dele. Quando o fiel ia embora, ele perguntava: ‘Entendeu? Essa moça está com problema financeiro e está tão fragilizada que, se você disser Faça isso!, ela vai fazer. Você tem de despertar essa fé que está nela para que ela venha e traga uma oferta para a igreja’. Oferta significava dinheiro, mas no começo ele não falava muito a palavra ‘dinheiro’, para não me assustar. Dependia dele para ter roupas e comida. Aqueles que eram bispos tinham muito privilégio. Queria ter a vida que o bispo Macedo e outros bispos tinham, então eu me submetia a tudo o que mandavam. Cheguei a fazer um jejum e só beber água durante sete dias. Nesses dois anos não fui sequer uma vez ao médico. O bispo Macedo me dizia que eu tinha de usar minha fé para curar a gripe, a dor de cabeça. Fazia parte do processo de sacrifício.”

Como a Universal se expande
“Eu e Edir Macedo saíamos pelo menos duas vezes por semana para procurar um teatro, um galpão onde desse para abrir uma nova igreja. A gente olhava primeiro a vizinhança. Se tivesse outra igreja na região, não valia a pena investir. E olhávamos se o povo era pobre ou de classe média. Se a área fosse pobre, era mais interessante, a igreja cresce mais. O bispo Macedo dizia que gente pobre tem todo tipo de problema. Então, é fácil ter argumento para atrair essas pessoas. Se fosse um pessoal com mais dinheiro, ele já pensava duas ou três vezes se valia a pena investir, porque apenas uma minoria frequentaria a igreja. Quando o bairro era de classe média, o pastor tinha de falar bom inglês e ter cultura, porque colocar um pastor escandaloso, ignorante, não dava certo. Em Londres, presenciei a criação de duas igrejas. Uma foi em Brixton e a outra em Peckham. Os cultos eram em inglês, 2% ou 3% dos fiéis da igreja eram brasileiros, 2% ou 3 % eram britânicos, e o restante eram africanos e jamaicanos. Havia uma preferência por colocar um pastor negro, para que os fiéis se identificassem mais.”

A escala em Portugal e a promoção
“Depois de dois anos na Universal em Londres, meu visto de estudante venceu e não conseguimos renovar. Eu já estava com 18 anos. O bispo Macedo conversou comigo e disse que Deus estava me enviando para Portugal. Fiquei lá um mês e meio, morando em Lisboa, até que o bispo Macedo me avisou que ele iria me registrar como pastor da Universal e em 15 dias eu estaria em Nova York. Ele disse que não me deixaria em Portugal porque ele precisava de um pastor com bom inglês nos Estados Unidos. No dia 13 de maio de 1999, eu cheguei a Nova York. Eu passei a tocar piano na igreja principal, no Brooklyn. Depois de uns 15 dias, o bispo Macedo chegou a Nova York e me disse que eu não deveria ficar só tocando, passaria a pregar. Foi a primeira vez em que fui responsável por uma igreja, a igreja de Utica, no Brooklyn. E, como eu era um pastor registrado pela Universal, passei a ter um salário. Ganhava US$ 600 brutos por mês. Era pouco, mas não tinha despesa com água, luz, aluguel porque eu morava na igreja.”

As metas e o método de arrecadação
“Em Utica, em dois meses, a igreja encheu. Cabiam 70 pessoas. O bispo Macedo achou que tinha valido a pena investir em mim. Comecei a fazer programas de TV e de rádio para a igreja e a participar das reuniões de pastores e bispos. Nessas reuniões, Edir Macedo nos ensinava a atingir as metas que ele criava para cada igreja. E a meta era financeira. Não era de fiéis. No primeiro mês, a minha igreja rendeu US$ 3 mil. Daí o bispo Macedo me falou: ‘Olha, Gustavo, este mês fez US$ 3 mil. Então, se no mês que vem você conseguir arrecadar só US$ 2.900, eu tiro a igreja de você. Você vai se virar para fazer US$ 3.500, senão eu vou descontar do seu salário, você não vai mais participar das reuniões e vai voltar para o piano’.”

“Fiquei tranquilo porque eu já tinha aprendido o trabalho. Ele me ensinou o seguinte: como era uma igreja pequena, primeiro eu tinha de fazer um atendimento corpo a corpo, conversar com cada um dos membros da igreja, visitar a casa, participar da vida. Eu levantava toda a vida da pessoa e determinava o dízimo. E eu ia colocando isso na cabeça das pessoas. Elas chegavam para me contar alguma coisa: ‘Pastor, fui viajar e bati meu carro’. Eu dizia: ‘A senhora está sendo fiel no seu dízimo?’. Ela dizia que não. Então eu falava que era por isso que ela tinha batido o carro. Óbvio que não tinha nada a ver, mas era uma questão de mexer com o psicológico, para que ela pensasse que as coisas ruins aconteciam por causa de um erro dela, e não por um erro da igreja ou um erro de Deus. Eu tinha de fazer aquela pessoa acreditar que o dízimo dela era uma coisa sagrada. Noventa e nove por cento das pessoas que vão à igreja, e isso eu ouvi do bispo Macedo, não vão para adorar a Deus. Vão para pedir, porque têm problemas no casamento, nas finanças, de saúde. Então o bispo falava: ‘Você chega para a pessoa e diz: Você está com problema financeiro, não está? Eu sei, eu estou vendo que sua vida financeira não está boa’. É muito fácil. Por serem pessoas humildes, elas estão mais propensas a certos problemas.”

O sucesso
“As minhas metas sempre eram alcançadas. Edir me dizia: ‘Agora a meta é US$ 4 mil’, eu fazia 4 mil. ‘Agora é US$ 5 mil’, eu fazia US$ 5 mil. E, a cada mês que eu alcançava minha meta, eu ganhava mais crédito, até o ponto de o bispo Macedo falar: ‘Você não é pastor para essa igreja, você é pastor para uma igreja melhor. Vou te colocar numa igreja maior, onde a meta já não é US$ 5 mil, a meta é US$ 30 mil’. Fiquei seis meses em Utica e fui para a igreja de Bedford. Vinham umas 400 pessoas, e a meta mensal era de US$ 25 mil. Alcancei todas as metas outra vez. Peguei a igreja com US$ 25 mil e deixei com quase US$ 40 mil de doações mensais. Aprendi a extorquir o povo, tenho até vergonha de falar. Uma vez coloquei uma piscina de plástico no altar por 15 dias, cheia de água. Disse que aquela era uma água do Rio Jordão, onde Jesus foi batizado. Eu dizia que as pessoas iam ser batizadas na mesma água que Jesus, desde que dessem uma oferta. E era água de torneira. Uma vez consegui fazer os fiéis doar três carros. Eles iam embora e me deixavam as chaves e o documento. A igreja vendia para fazer dinheiro. Entre os pastores, a conversa sempre era: ‘E aí, já pegou o mês?’. ‘Pegar o mês’ significava cumprir a meta. Eu chegava para um pastor que tinha uma igreja melhor que a minha e perguntava: ‘Já pegou o mês?’. ‘Já, fiz US$ 80 mil’, ele dizia. Eu respondia: ‘Olha, meu mês está em US$ 50 mil, mas vou fazer uma loucura, vou passar o teu mês e vou pegar tua igreja, hein?!’.”

As gratificações
“Quanto mais eu ganhava para a igreja, mais privilégios eu tinha. O meu pior carro foi um Toyota Corolla, era o primeiro carro de todo pastor. Do Corolla, passei para um Ford Focus, zero-quilômetro. Do Focus, tive um Honda Civic, do ano. Do Civic, fui para um Honda Accord. Nos Estados Unidos, morei em três casas diferentes. Conforme cumpria a meta, as casas aumentavam de tamanho, melhoravam de localização. O bispo Macedo pegava o relatório do mês, via a progressão de rendimentos e te perguntava: ‘Você está morando onde? E vai para a igreja com que carro? Faz o seguinte: fala com o bispo responsável para ele te mudar para tal casa’. Ele olhava em uma relação de pastores os bens que cada um estava usando e dizia: ‘Esse carro aí que você tem, dê para o pastor Álvaro e pega o carro do pastor Álvaro para você’. Era frequente essa troca de carros e casas entre os pastores. Como a gente não podia comprar mobília nem bens, só coisas pessoais, roupas, a mudança era bem rápida. Pastor não pode ter nada em seu nome, todos os carros que eu tive e casas em que morei estavam no nome da Universal.”

O casamento arranjado
“Em 2001, eu tinha 21 anos, era um pastor promissor e ainda era solteiro. Namorava havia dois anos uma americana que era obreira da igreja. Houve uma dessas reuniões de bispos e pastores e o Edir Macedo estava chamando a atenção de todo mundo. Ele olhou para mim: ‘Fica de pé. Você está namorando?’. Eu disse que sim. ‘Mas quem autorizou seu namoro? Está tudo errado. Você vai pegar o meu celular e vai ligar para sua namorada. Você vai dizer para ela que Deus não quer mais que vocês fiquem juntos.’ Eu fiquei indeciso, mas não teve jeito. Peguei o telefone, liguei para minha namorada no viva-voz e rompi com ela. Quando desliguei, ele disse para os pastores: ‘Estão vendo? A obra de Deus precisa de homens assim. Por você ter obedecido, vai ser abençoado agora. Você vai para o Brasil e vai conhecer uma mulher que Deus preparou para você. E você vai casar com ela. Você é um pastor da minha confiança, mas nela eu confio ainda mais do que em você, porque ela mora na minha casa, ela é minha empregada doméstica’. Embarquei para o Brasil no dia seguinte. Só conheci a Jacira no cartório. Dois dias depois, a gente casou no religioso. O bispo João Batista (ex-deputado federal) fez o casamento e pagou a lua de mel em Poços de Caldas (Minas Gerais). No dia em que partimos para a lua de mel, ele disse: ‘Gasta à vontade, porque quem está pagando isso é o povo. Não tem limite, fica tranquilo’.”

“Depois que voltei da lua de mel, passamos 15 dias na casa do João Batista, até que o visto da Jacira saísse. Era um apartamento por andar, com oito quartos. O João Batista guardava uma boa quantidade de dinheiro no escritório, notas de dólar e real. A Jacira me disse que estava acostumada a ver aquilo na casa dos bispos. Quando voltei aos Estados Unidos levando a Jacira, o bispo Macedo me disse: ‘Que bom que deu tudo certo. O visto dela já tinha sido negado antes, mas você conseguiu trazê-la’. O casamento garantiu a entrada da empregada doméstica dele nos Estados Unidos.”

A reportagem do Domingo Espetacular afirma que os investimentos e salários da Rede Record são pagos pela própria emissora e nega as acusações. O repórter ressaltou que as denúncias contra a rede sempre são esclarecidas e respondidas por meio de nota, o que não aconteceria com a TV Globo.

O telejornal cita a suposta posse ilegal de um terreno que pertence ao Estado de São Paulo por parte da Globo, um empréstimo de R$ 40 milhões junto à Caixa Econômica Federal que seria ilícito e a compra da TV Paulista, cuja transação teria sido irregular.

Ainda de acordo com a reportagem, a Record é a emissora que mais cresceu nos últimos anos e a denúncia da revista coincide com o lançamento do portal R7, que deve acontecer nesta semana. O telejornal ainda ressalta que a última edição do jornal Folha Universal traz denúncias sobre a família Marinho e o questionamento: "quem pode salvar o Brasil da Globo?"

Leia abaixo a matéria da Folha Universal:

Manipuladora da notícia

O jornalista Roberto Marinho, fundador das “Organizações Globo”, era chamado de “o fazedor de reis”. A expressão, extraída do francês “faiseur de rois”, demonstrava como ele utilizava do poder do monopólio da “Rede Globo” para influenciar a escolha dos principais mandatários do País. Roberto Marinho utilizava o poder de seus meios de comunicação para colocar a coroa na cabeça de seus escolhidos. A ausência de imparcialidade para noticiar os fatos ligados às principais eleições do País, tornou-se evidente em casos que se converteram em grandes escândalos nacionais. Em 1982, o Brasil vivia a “redemocratização” com as primeiras eleições após a Ditadura, e conheceu então o caso Proconsult. Durante as apurações da eleição para o Governo do Estado, no Rio de Janeiro, a “Rede Globo” divulgava os dados da empresa de tecnologia Proconsult, contratada pelo Tribunal Regional Eleitoral fluminense para totalizar os votos.

A apuração se revelou uma fraude a favor do então candidato ao Governo, Moreira Franco, que era beneficiado com a transferência de votos nulos e brancos, e tentava barrar a eleição de Leonel Brizola. A fraude foi descoberta por uma apuração paralela e Brizola se elegeu governador.

Em 1989, a “Rede Globo”, mais uma vez, envolveu-se num episódio controverso que teria ajudado a eleger Fernando Collor de Mello na disputa à Presidência com Luiz Inácio Lula da Silva. Tratava-se da primeira eleição direta após a Ditadura Militar. Foi quando o “Jornal Nacional”, telejornal de maior repercussão da “Rede Globo”, exibiu um compacto do último debate entre Collor e Lula, portanto decisivo para a definição do voto dos eleitores, com uma edição que favorecia Fernando Collor, em detrimento a Lula. Depois de eleito, Collor deixaria o cargo envolvido numa série de denúncias.

Ainda na década de 80, a emissora demorou a reconhecer a força e a amplitude do movimento das Diretas Já. Enquanto o clamor popular em torno do voto direto para presidente ganhava as ruas, a “Rede Globo” parecia indiferente ao que foi a maior manifestação política da história brasileira, que mobilizou multidões em comícios nas principais capitais do País. Os manifestantes pró-diretas adotaram o slogan: “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”.

No ano passado, durante a campanha à Prefeitura do Rio de Janeiro, o jornal “O Globo”, das “Organizações Globo”, optou por dar destaque a uma pesquisa eleitoral em que o senador Marcelo Crivella aparecia em queda, ao invés de destacar uma pesquisa do Ibope, ironicamente encomendada pela “TV Globo”, em que ele aparecia virtualmente no segundo turno. A tentativa de eliminar Crivella da disputa foi alvo de críticas até mesmo dos outros concorrentes ao cargo.

A origem da “Rede Globo” já expõe ligações com a Ditadura Militar, como mostra o livro-reportagem “O ópio do povo”, escrito por quatro jornalistas, na década de 70. Mylton Severiano, um dos autores, lembra que, em 1965, no início da Ditadura, a “Globo” surgiu debaixo do que se chamava de “escândalo da Time Life”. Com sede em Nova York, a “Time Life” é um conglomerado de comunicação norte-americano que, segundo Severiano, teria colocado dinheiro, técnicos e até jornalistas norte-americanos para auxiliar a montagem da emissora, num acordo com Roberto Marinho. O problema é que o acordo burlava a Constituição do País, que proibia que grupos estrangeiros tivessem participação acionária em veículos de comunicação do Brasil. “Eles feriam o artigo 160 da Constituição. Isso era anticonstitucional. Era proibido ter estrangeiro ditando até o que a rede ia botar no ar, até jornalismo. Isso vem no bojo do golpe militar, da Ditadura, que começa 1 ano antes, em 1964. E a ‘Globo’, sintomaticamente, é um legítimo filhote da Ditadura”, disse Severiano à “TV Record”. O escândalo “Time Life” foi parar na Câmara dos Deputados. Os parlamentares aprovaram, por oito votos a zero, o parecer do relator e consideraram a transação inconstitucional, mas, mesmo assim, o negócio com a empresa norte-americana
foi mantido.

Não é só na política que a “Rede Globo” costuma manipular informações. Em 22 de dezembro de 1995, há quase 14 anos, o “Jornal Nacional” exibiu uma reportagem de 9 minutos de duração, tempo elevado para os padrões do noticiário, em que prometia mostrar os bastidores da Igreja Universal.

Tratava-se, na verdade, de um vídeo gravado por um ex-companheiro do bispo Edir Macedo e ex-líder da IURD no Nordeste. As cenas registravam momentos de lazer dos principais integrantes da Universal. Peritos comprovaram depois que houve uma edição tendenciosa, com montagem e manipulação de algumas imagens, distorções no rosto de Edir Macedo e até erros elementares de informação: numa das cenas, o bispo contava notas de 1 dólar e o repórter disse que eram de 100 dólares. A própria “Globo” se corrigiu dois dias depois. No dia 11 de agosto deste ano, a “Rede Globo” voltou a exibir a mesma reportagem, mais de 14 anos depois, em seus ataques desesesperados.

Fonte: Terra, Revista Época e Folha Universal

OMG News : Benedita da Silva é barrada em evento religioso no Rio

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro, Benedita da Silva, foi impedida de subir em um dos carros de som que reúne religiosos, na II Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, que acontece neste domingo na Orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio.
Benedita chegou acompanhada da deputada estadual Beatriz Santos (PRB-RJ) - ligada à Igreja Universal do Reino de Deus. O babalawo (espécie de sacerdote da religião iorubá) Ivanir dos Santos, porta-voz da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), argumentou com a secretária que a comissão não teria recebido nenhum comunicado do governador Sérgio Cabral sobre o envio de representantes e que, por isso, "ela não subiria a um dos carros do movimento".
O porta-voz explicou que a caminhada não faz parte de movimentos políticos e só representa uma amostra da força da democracia em relação à liberdade religiosa. Sendo assim, nenhuma pessoa com cargo político seria autorizada a falar sem aviso prévio.
A conversa terminou com a secretária pedindo a letra da música que havia acabado de tocar no carro de som, a gospel "Faz um milagre em mim", em língua iorubá.
Na tarde de sábado, a assessoria da secretária Benedita ameaçou pedir ao prefeito Eduardo Paes que autorizasse a montagem de uma barraca para receber os convidados especiais dela e alguns pastores. A comissão não havia autorizado a montagem de nenhuma estrutura.
A Superintendência Estadual de Direitos Humanos, órgão da Secretaria de Assistência Social, que tem como coordenador Claudio Nascimento, é uma das apoiadoras da caminhada. O combinado entre os religiosos e a superintendência era que Nascimento representaria a secretaria.
Fonte: JB online

OMG News : Igreja rejeita modificação da Constituição

A Conferência Episcopal da Costa Rica divulgou um comunicado no qual rechaça “totalmente” o projeto de lei que visa uma modificação constitucional que deixa de estabelecer que a religião do país é a religião católica; assim como a intenção de eliminar a palavra “Deus” dos juramentos oficiais.

Os bispos explicam que este projeto de lei proposto pelo “Movimento por um Estado Laico na Costa Rica” se enuncia como remédio para preservar a liberdade religiosa dos habitantes do país” quando na realidade o que estão fazendo aqueles que pertencem a este grupo é aproveitar “esta oportunidade para impulsionar sua própria agenda”.

Os bispos asseguram que a atual Constituição “permitiu, historicamente, uma sã, respeitosa e equilibrada colaboração entre o Estado e a Igreja em áreas do desenvolvimento integral de nosso país. Afirmar o contrário é ignorar a história”.

Ao comentar o desejo deste grupo de suprimir o nome de Deus do juramento constitucional, os prelados indicam que esta pretensão “evidencia um doloroso secularismo, totalmente oposto ao conceito de justa autonomia da comunidade política e da Igreja, e entendido como a exclusão de Deus e da fé dos âmbitos públicos, reduzindo esta a um simples intimismo”.

Font: Portas Abertas

OMG News : Grammy Latino 2009: confira os evangélicos que estarão na premiação


Foi divulgada a lista dos indicados à décima edição do Grammy Latino. Na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa estão: Jozyanne, Marina de Oliveira, Regis Danese, Oficina G3 e André Valadão.

Confira abaixo a relação dos indicados na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa divididos por gravadora:

MK Music

A MK Music, uma das principais gravadoras gospel do Brasil, concorre na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa com três CDs: Eu Não Vou Parar, de Marina de Oliveira, produzido por Rogério Vieira, Eu Tenho a Promessa, de Jozyanne, produzido por Josué Lopes e Rafael Castilhol, e Depois da Guerra, do Oficina G3, produzido por Heros Trench e Marcelo Pompeu.

A MK é a gravadora gospel com maior número de indicações na categoria. Os vencedores serão anunciados no dia 5 de novembro, em Las Vegas (EUA). Desde a primeira edição da categoria (2004) a MK Music tem sido representada. A gravadora foi ganhadora em 2006, com o CD Aline Barros & Cia, da cantora Aline Barros, e em 2007, com o CD Caminho de Milagres, também de Aline Barros.

“Nós estamos muito felizes com essas três indicações. Eu particularmente estou mais ainda pela minha filha Marina de Oliveira, que é a precursora da música evangélica no Brasil, e de alguma maneira Deus está mostrando pra ela que ela não pode parar. O Oficina G3 é realmente uma bênção e a Jozyanne é uma presença que me deixa muito feliz. Eu a conheci criança e hoje Deus está a honrando. O Grammy é uma premiação que esperamos sempre e ficamos muito felizes quando somos indicados”, declarou Yvelise de Oliveira, presidente da MK Music.

Esse ano, a gravadora conta com duas estreias na premiação: Marina de Oliveira e Jozyanne. “Pisando nas nuvens”, essa é a definição de Jozyanne para o que está sentindo nesse momento. “Eu estou muito feliz, não esperava. Esse CD é o que mais retrata o tempo que estou vivendo, é um trabalho muito precioso e importante no meu ministério. Eu sei que é mais um reconhecimento dos homens, mas Deus já aprovou lá no céu assim que o CD foi lançado abençoando muitas vidas. Essa indicação é uma vitória de todos que participaram desse trabalho”, comemorou a cantora.

Marina de Oliveira também recebeu a indicação com alegria e surpresa. “Essa indicação me mostra como Deus trabalha. Já desejei ser indicada ao Grammy algumas vezes, principalmente com o CD Meu Silêncio, mas ainda não era o tempo de Deus. E agora, quando eu nem esperava, Ele me coloca nesse lugar. Tenho certeza que isso é especialmente para que eu me lembre sempre que não foi só o meu esforço, mas o trabalho dEle na minha vida. Esse CD representa o momento em que eu realmente pensei em parar e me dedicar a tantas outras coisas. Essa pregação do Eu Não Vou Parar é antes de mais nada uma mensagem direcionada ao meu coração, para eu me lembrar que não posso parar, não posso desistir, porque o meu ministério e a minha vida não me pertencem”, declarou Marina.

Essa é a terceira indicação da banda Oficina G3 ao Grammy Latino. Em 2005 eles concorreram na mesma categoria com o CD Além do Que os Olhos Podem Ver e em 2007 com o álbum Elektracústika. Dessa vez, a banda concorre com o disco que marca a estreia do novo vocalista, Mauro Henrique. “Estamos muito gratos a Deus em primeiro lugar. É muito bom ver o nosso trabalho sendo reconhecido. Ficamos muito felizes e agradecemos por mais essa oportunidade de representar a música gospel fora do Brasil. Somos gratos também a toda a galera que sempre acompanhou o Oficina G3 e confiou no que falamos e pregamos, pois foi pra isso que Deus nos chamou. É um sentimento de gratidão e expectativa. Que seja feita a vontade de Deus”, compartilhou Jean Carllos, tecladista da banda.

A ‘Latin Academy of Recording Arts & Sciences, Inc’ foi criada em 1997, mas apenas em 2000 fez a primeira premiação das melhores produções fonográficas da América Latina, o Grammy Latino - que acontece por votação dos membros da academia. Devido ao grande crescimento da música gospel no Brasil, em 2004, foi criada a categoria de Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa - já que em 2002 e 2003 o prêmio era entregue ao Melhor Álbum Cristão (Best Christian Album), onde concorriam CDs em português e em espanhol - e Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Espanhola. A MK Music foi a primeira gravadora brasileira a ter um CD indicado na categoria em espanhol, com o álbum Pamela En Español em 2007.

Graça Music

André Valadão acaba de ser indicado ao Grammy Latino 2009 com o álbum Fé como Melhor Álbum Cristão na Língua Portuguesa. Com cinco anos de carreira solo AV recebe sua segunda indicação. Em 2008 André Valadão foi indicado pelo álbum Sobrenatural.

Fé é o primeiro trabalho de AV pela gravadora Graça Music e vem surpreendendo público e opinião. André Valadão confessa que não esperava a indicação ao Grammy deste ano. “O Fé é realmente o melhor trabalho que fiz em toda minha carreira solo. Estou mais surpreso pela indicação, mais do que no ano passado, realmente não esperava. Estou muito alegre e feliz”, compartilha.

AV também destaca a surpreendente fase da música mineira que está em “peso” no hall de indicados ao Grammy Latino deste ano. “Daqui de Minas Gerais somos cinco indicações: Régis Danese, Jota Quest, Skank, César Menotti e Fabiano, e eu. É muito bom ver nosso estado representado em uma premiação internacional”, destaca André.

Gravado ao vivo em Vila Velha/ES em janeiro deste ano, o CD/DVD Fé vem superando todas as expectativas desde o dia da gravação. Foi o maior público da história do evento em quase 20 anos e alcançou a incrível marca de público com 80 mil pessoas. O CD Fé foi lançado em abril deste ano e já alcança cerca de 200 mil cópias vendidas enquanto o DVD Fé, lançado há um mês, entra em seu segundo lote de vendas.

Line Records

O cantor Regis Danese, intérprete do maior hit gospel do momento, foi indicado ao Grammy Latino 2009 na categoria “Melhor Álbum Cristão em Português”, com o CD “Compromisso”. A premiação, que acontece por votação dos membros da “Latin Academy of Recording Arts & Sciences”, é considerada uma das importantes da América Latina.

Com vendagem que ultrapassa a marca de 1 milhão de cópias, o CD “Compromisso” traz a música que rompeu barreiras ao liderar o ranking das principais rádios do País. “Faz Um Milagre em Mim” também caiu no gosto dos famosos e rendeu ao cantor destaque nos principais veículos da mídia impressa e televisiva.

Grammy Latino

A “Latin Academy of Recording Arts & Sciences” foi criada em 1997, mas apenas em 2000 é que promoveu o primeiro prêmio das melhores produções fonográficas da América Latina. Devido ao grande crescimento da música gospel no Brasil, em 2004 foi instituída a categoria de Melhor Álbum Cristão em Português, já que em 2002 e 2003 o prêmio era entregue ao Melhor Álbum Cristão, concorrendo CDs em português e em espanhol. A Line Records tem sido representada em várias edições e, em 2008, foi premiada em três categorias, com os CDs “Som da Chuva” e “Tengo Sed de Ti”, da cantora Soraya Moraes.

Melhor Álbum de Música Cristã (Língua Portuguesa)

• Eu Tenho a Promessa - Jozyanne
• Eu Não Vou Parar - Marina de Oliveira
• Depois da Guerra - Oficina G3
• Compromisso - Regis Danese
• Fé - André Valadão

Fonte: MK Music, André Valadão, Line Records e Gospel+

OMG News : Ator Will Smith doa US$ 70 mil para a Cientologia



O ator Will Smith e sua mulher, Jada Pinkett-Smith, doaram US$ 70 mil (cerca de R$ 135 mil) para a Cientologia em 2008. A informação foi descoberta a partir de recibos de impostos obtidos pelo colunista Roger Friendman, da "Hollywood Reporter".

O protagonista de "Eu Sou a Lenda" contribuiu com grupos ligados à seita, que tem entre seus adeptos vários astros de Hollywood, como Tom Cruise e John Travolta.

Smith deu US$ 60 mil para a World Literacy Crusade e US$ 10 mil para a ABLE International por meio da Will Smith Foundation. Ambas as instituições beneficiadas são ligadas à Cientologia. No passado, o ator negou ser membro da igreja.

De acordo com o colunista, os US$ 70 mil doados por Smith são troco já que ele suas contribuições para a caridade somaram US$ 1,275 milhão em 2008.

Não é a primeira doação que o ator faz à igreja. Em 2007, ele doou US$ 122 mil para grupos ligados à Cientologia.

Fonte: Diário do Pará

OMG News : Britânico 'Jedi' acusa desrespeito à religião por ter que tirar capuz

Um jovem britânico que se declara seguidor da religião Jedi disse que um supermercado do país discriminou sua religião ao pedir que ele deixasse a loja por estar vestindo um capuz.
O britânico Daniel Jones, do País de Gales, diz ter fundado sua própria versão da religião Jedi, inspirada na série de filmes Guerra nas Estrelas. Segundo sua crença, ele teria que se vestir como um cavaleiro Jedi.
Nos filmes, os Jedis são cavaleiros que usam roupas parecidas com as de monges. A indumentária inclui o uso do capuz.
Daniel Jones estava fazendo compras em uma loja da cadeia de supermercados Tesco na cidade de Bangor, no norte do País de Gales, vestido com seu traje inspirado nos Jedis.
No entanto, ele foi alertado que a loja não permite o uso de capuz, alegando questões de segurança. Jones, que se diz fundador da Igreja do "Jedi-ismo", recusou-se a remover seu capuz e foi convidado a se retirar do estabelecimento. Ele comparou o uso de capuz de seus correligionários ao uso da burqa por muçulmanos.
O jovem diz que o Tesco desrespeitou seu direito à crença e insiste que sua fé o obriga a se vestir como um cavaleiro Jedi.
"Nós usamos capuzes em lugares com muitas pessoas quando nos sentimos intimidados, ou quando nos sentimos desconfortáveis. É um ato simbólico da nossa religião, da nossa crença, para mostrar quem somos e no que acreditamos", disse Jones à BBC.
'Bem-vindos'
O jovem de 23 anos afirma que sua escolha religiosa merece o mesmo respeito que a de outras pessoas. Ele reclamou que os funcionários da loja foram grosseiros e caçoaram da sua crença.
O supermercado preferiu reagir com humor à reclamação do jovem. Um porta-voz do Tesco disse que os três cavaleiros Jedis mais famosos - Yoda, Obi-Wan Kenobi e Luke Skywalker - nem sempre usam capuz e que Jedis sem capuz são bem-vindos em suas lojas.
"Se eles caminharem usando seus capuzes, eles perderão muitas das nossas ofertas", disse o porta-voz.
Daniel Jones diz que apesar de sua crença ser baseada nos filmes, a Igreja não segue necessariamente os mesmos princípios e condutas dos cavaleiros fictícios.
"Eles não são reais. Eu sou real e esta é a minha religião, isso é algo completamente separado do filme", disse Jones.
Daniel Jones diz ter criado sua versão da Igreja do "Jedi-ismo" no ano passado, mas no começo desta década muitas pessoas já se declaravam Jedis ou "cavaleiro Jedi" em questionários de censos em países como Grã-Bretanha e Estados Unidos.
O censo de 2001 na Inglaterra e no País de Gales afirma que mais de 390 mil pessoas se declararam da religião Jedi naquele ano.
Segundo o jornal britânico The Guardian, Daniel Jones está considerando a possibilidade de processar a cadeia de supermercados.
Fonte: O Globo online

sábado, 19 de setembro de 2009

OMG News : Morre, nos EUA, o pastor Nilson do Amaral Fanini



O pastor Nilson do Amaral Fanini, único brasileiro até hoje a assumir o cargo de presidente da Aliança Batista Mundial, morreu nesta madrugada em um hospital de Houston, nos Estados Unidos, em consequência de um acidente vascular cerebral. Fanini foi internado na quinta-feira, 17, após ter viajado para Dallas para conhecer a neta mais nova.

Fanini nasceu em 18 de março de 1932, em Curitiba, Paraná, cursou seu bacharelado de Teologia no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro e seu mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth,Texas, e um licenciado em Direito pela Universidade Federal Fluminense do Rio de Janeiro.

Atualmente pertencia à Igreja Batista Memorial em Niterói, que conta atualmente com 501 membros, antes pastoreava a Primeira Igreja Batista em Niterói e chegou a liderar um rebanho de 7 mil pessoas por 41 anos. Presidente da Fundação Reencontro Fanini, sempre teve um papel ativo na evangelização e na distribuição mundial de Bíblias. Mais de 3 mil crianças da favela foram adotadas em 1994, e milhares de toneladas de alimentos doados e milhões de reais investidos no social nos últimos anos. Fanini, realizou cruzadas evangelísticas em 109 países, celebrou cerca de 11 mil batismos, pregou em 52 rádios e 110 estações de televisão que atingiu 50 milhões de pessoas no Brasil e em outros seis países sul-americanos. Distribuiu mais de 25 milhões de Bíblias para o Brasil.

O conhecido pastor batista, que se colocava primordialmente em defesa dos direitos humanos, atacando a injustiça social, promovendo a paz e ajudar aqueles que estavam com fome e com necessidades desesperadas, mas ele colocou o evangelismo no centro da BWA (Aliança Batista Mundial), que liderou por 11 anos mais de 100 milhões de batistas no mundo, na sua gestão na década de 90.

Fanini se manteve no ar, por três décadas, programas de rádio e TV oferecido à sua Fundação pelo presidente Figueiredo, publicou cinco livros e produziu milhares de mensagens, estudos bíblicos e trabalhos de cunho teológico.

Ao longo de quase meio século de ministério, o líder batista tornou-se referência dentro e fora do segmento evangélico, a ponto de ter sido interlocutor de todos os presidentes brasileiros desde o general Ernesto Geisel, nos anos 70 até ao atual presidente, Lula.

Ele se casou com Helga Kepler Fanini e fez mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, no Texas, nos EUA. De volta ao Brasil, pastoreou a primeira Igreja Batista de Niterói por 41 anos, presidente da Convenção Batista Brasileira por 11 vezes presidente da Aliança Batista Mundial, por três anos.

Ele se aposentou da carreira religiosa em 2006.

Polêmica

Em 2004 a reportagem “A maldição da Catedral”, publicada na edição 109 da revista ECLÉSIA, informava que o líder batista havia entregue cerca de R$ 1,6 milhão da primeira Igreja Batista de Niterói (PIBN) a supostos agenciadores que viabilizariam empréstimo do exterior para a construção da Catedral Batista. O templo era o sonho dourado de Nilson Fanini. Mas o projeto desmoronou quando veio à tona que os negociadores, na verdade, eram golpistas com ramificações em paraísos fiscais. O sumiço do dinheiro deixou a igreja em polvorosa. Foram instaladas comissões para averiguar as contas da gestão Fanini. Além do desfalque, irregularidades adminstrativas foram descobertas e o caso foi parar na Justiça.

Afastado do comando da PIBN, o pastor se disse vítima de uma falcatrua. De fato, tanto as investigações internas como as judiciais não apontaram nenhum indício de que o religioso cometeu dolo. Mesmo assim, setores da igreja exigiram a devolução do dinheiro. Um membro da PIBN denunciou o pastor ao Ministério Público, o que motivou uma ação ordinária da Justiça. Mesmo sem ter a ação chegado ao fim, o Conselho da igreja decidiu, na época, cortar os benefícios que Fanini pleiteou – uma pensão vitalícia de R$ 15 mil reais, equivalente aos seus rendimentos na ativa, plano de saúde e seguro de vida.

Saudade

O pastor Fanini, um dos maiores líderes evangélicos do Brasil, deixa a esposa Helga Kepler Fanini, filhos ,noras ,genros e netos, todos com moradia no E.U.A. Ele tinha como seu Hino Preferido: “Quando Cristo sua Trombeta lá do Céu Mandar Tocar” do Cantor Cristão e seu Salmo preferido era o 121.

Fonte: O Globo, Revista Eclésia

OMG News : Juiz que citou a Bíblia para criticar a mulher é processado

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) decidiu por unanimidade nesta terça-feira (15) abrir processo administrativo disciplinar contra o juiz Edilson Rumbelsperger Rodrigues. Ele terá a conduta analisada por ter se negado a aplicar a Lei Maria da Penha, por compreendê-la como inconstitucional, em casos de denúncias de agressão contra mulheres da cidade mineira de Sete Lagoas.

Rodrigues foi acusado de usar linguagem imprópria nos despachos de sua autoria, feitos em 2007, e de discriminação contra mulheres. Em nota, o juiz comenta a decisão do CNJ e afirma que combate "o feminismo exagerado consubstanciado em parte na Lei Maria da Penha, e que dela se aproveitou para buscar compensar um passivo feminino histórico, com algumas disposições de caráter vingativo".

Em uma das decisões dele à época, o CNJ revelou ter o magistrado citado que "a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher". Em outro trecho, Rodrigues afirmou ser a Lei Maria da Penha uma "heresia manifesta", divulgou o Conselho.

O relator do processo no CNJ, conselheiro Marcelo Neves, entendeu ter o juiz usado termos que revelaram preconceito e discriminação de gênero. "Trata-se de uma denúncia grave de discriminação à mulher", escreveu Neves.

Segundo a assessoria do Conselho, as sanções contra ele poderão ser aposentadoria compulsória ou transferência de comarca.

"O mundo é masculino"

O juiz Edílson Rodrigues ganhou notoriedade em 2007 pela recusa em acatar denúncias de agressões sofridas por mulheres em Sete Lagoas (MG) e pelas argumentações citadas em seus despachos.

O jornal "Folha de São Paulo", em matéria de outubro de 2007, revela que Rodrigues havia sugerido, entre outros, os seguintes argumentos para corroborar suas decisões:

"(...) O mundo é masculino. A ideia que temos de Deus é masculina. Jesus foi homem", escreveu o magistrado, para, em seguida, emendar: "Para não se ver eventualmente envolvido nas armadilhas dessa lei absurda, o homem terá de se manter tolo, mole, no sentido de se ver na contingência de ter de ceder facilmente às pressões", citou o jornal.

Após análise feita pela Corregedoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a pedido do MP (Ministério Público), o caso foi arquivado pelo órgão sob argumento de que um juiz não poderia ser punido por suas decisões.

Em 2008, uma representação da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, fez com que o CNJ começasse a analisar o caso.

Sem arrependimento

Por meio de nota emitida pela assessoria de imprensa do TJ de Minas, o juiz se pronunciou sobre a decisão do CNJ. Para ele, não houve "excesso de linguagem" nos seus despachos. Ele trabalha na 1ª Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Sete Lagoas.

"Comprovadamente e juridicamente, penso que não houve excesso de linguagem, porque eu não ofendi a parte e nem a quem quer que seja. Eu me insurgi contra uma lei em tese, e, mesmo assim, parte dela", analisa Rodrigues.

Mais adiante, o magistrado afirma combater "a violência física, sexual e a psicológica praticadas mediante ameaça" e disse desejar a igualdade entre homens e mulheres.

No entanto, Rodrigues ressalta querer rechaçar também o que considera nefasto na lei.

"Combato, assim, o feminismo exagerado consubstanciado em parte na Lei Maria da Penha, e que dela se aproveitou para buscar compensar um passivo feminino histórico, com algumas disposições de caráter vingativo", explicou.

Em seguida acrescentou: "Combato um feminismo exagerado, que negligencia a função paterna, que quer igualdade sim, mas fazendo questão de serem mantidas intactas todas as benesses da feminilidade. Eu não defendo, pois, o homem, eu defendo a função paterna".

O juiz não demonstra arrependimento por entender que o assunto é polêmico e enseja opiniões distintas entre as pessoas. Ele frisou não concordar com punição de um magistrado por ele "expressar sua opinião sobre um assunto tão polêmico".

"Se eu voltasse atrás num único pensamento expressado em quaisquer de nossas decisões, eu o estaria fazendo por mera covardia, apenas para tentar me livrar da angústia desse embate. E covardia, talvez, seja o único defeito que magistrado algum pode se dar ao luxo de ter", concluiu.

A Lei Maria da Penha

A Lei 11.340, de 2006, endureceu as penas para agressões contra a mulher feitas no lar. O nome dado a ela é uma homenagem a biofarmacêutica Maria da Penha Maia, que havia sido agredida reiterada vezes pelo marido.

Em 1983, Maria da Penha ficou paraplégica após duas tentativas de homicídio feitas por Marco Antonio Herredia, que fora preso após 19 anos de julgamento. Ele passou apenas dois anos em regime fechado.

Fonte: UOL

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

OMG News : Banda Novo Som lança novo CD após quatro anos


Após quatro anos sem lançar um trabalho inédito, a banda Novo Som traz Estação de Luz, seu quarto CD pela MK Music. O álbum é a essência do estilo que consagrou a banda, formada por Alex Gonzaga, Geraldo Abdo e Mito.

“Às vezes as pessoas perguntam: qual a surpresa boa desse CD? É uma resposta difícil mas ao mesmo tempo muito fácil: Nenhuma! (rs). Eu digo em relação ao estilo, claro, afinal sabemos que cantamos a Palavra de Deus, que sempre se renova”, explica Mito, produtor e tecladista.

O título Estação de Luz surgiu de uma das músicas do repertório. “Os nomes dos nossos CDs não são previamente estudados. Para não dizer que não seguem um padrão – com exceção do primeiro, que se chamou Um Novo Som para Cristo, o álbum de fundação da banda – todos os títulos de nossos discos foram nomes de música. E nós achamos Estação de Luz muito legal. Acaba que, no final das contas, essa regra é exata porque, quando você verifica os nomes, acabam fazendo link com o trabalho”, explica Alex Gonzaga, que a cada disco, parece aprimorar ainda mais sua voz e seu jeito de cantar.

E desta vez o vocalista da banda está alcançando notas que nunca havia gravado antes, como na faixa 'Guarda-me'. E Alex dá um recado aos autores: “A idade está chegando. Alô compositores, vamos segurar a onda” (rs). Ao todo Estação de Luz tem 14 faixas. “Na realidade são 12 músicas inéditas mais duas que saíram em edições anteriores do Amo Você, que em nosso disco são músicas inéditas, e pra gente são músicas muito boas que foram aproveitadas', completa Alex referindo-se a 'Especial' e 'Acredita em Mim'.

No repertório há músicas de Mito, Joey Summer (guitarrista da banda), Charles (baixista), Lenilton (ex-integrante do Novo Som), Daniel Lamas, Davi Fernandes, Jill Viegas, Ayra Peres, Flávio Santana, David Fantazzini, Natan Brito (Banda & Voz), Renato Cesar, Anderson Freire, Josias Teixeira e Junior Maciel. “O repertório agradou bastante. Nós fizemos com muito cuidado desde o início, analisando música a música. A performance da banda foi ótima, a galera tem evoluído, graças a Deus o Novo Som vem sempre crescendo”, atesta Geraldo Abdo.

Crescimento que tem a tecnologia como um dos aliados, acrescenta Mito. “Eu como músico digo que a tecnologia no estúdio melhorou, não só a qualidade, mas a praticidade. Nós gravamos em vários estúdios. O Alex colocou voz perto da casa dele. Eu e o Geraldo gravamos perto da nossa casa. A gente se encontrava esporadicamente, mas todo mundo antenado com seus computadores, ouvindo o resultado e debatendo sobre as músicas sem precisar se deslocar todo mundo para o mesmo lugar todos os dias”, finaliza Mito.

Fonte: Elnet

OMG News : Estudos mostram que oração ajuda na cura de doenças graves


Segundo o médico americano Harold Koeni, do Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick, ao fazer orações, pacientes religiosos controlam indiretamente suas doenças, o que ajuda na cura.

A influência da fé na cura das mais diversas doenças é uma realidade entre médicos de todo mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, há mais de 10 anos exige-se que todos os programas de residência para psiquiatras incluam no currículo questões religiosas e espirituais. No Brasil, embora a questão ainda seja tratada com cautela, muitos médicos já admitem ter testemunhado casos impressionantes que a ciência não tinha como explicar.

Segundo revela o Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick, estudos científicos em torno da cura pela fé começaram com o médico americano Harold Koenig . Ele e sua equipe concluíram que, ao orar, pacientes religiosos controlam indiretamente suas doenças. 'Acreditam que não estão sozinhos na batalha e que Deus está cuidando pessoalmente deles. Isso os protege do isolamento psicológico que domina a maioria dos doentes.

Em um estudo com 455 idosos internados, Koenig observou que a média de internação dos que frequentavam a igreja mais de uma vez por semana era quatro dias. Já os que iam raramente ou nunca chegavam a passar até 12 dias hospitalizados.

Outra pesquisa, feita pela Faculdade de Medicina de Dartinouth, revelou que a probabilidade de pacientes cardíacos morrerem após a cirurgia era 14 vezes maior entre os que não participavam de atividades religiosas. Em seis meses, 21 morreram. Já todos os 37 que se declararam extremamente religiosos tiveram alta.

O médico Herbert Benson, da Faculdade de Medicina de Harvard, afirma que o estresse é responsável por pelo menos 60% das doenças que atingem o homem moderno. Além disso, faz o organismo produzir o agente inflamatório interleucina-6, que está associado a infecções crônicas, diabetes, câncer e doenças cardiovasculares.

Segundo o médico, ao orar ou meditar seguidas vezes, o paciente atinge um estado de relaxamento capaz de reduzir o impacto dos hormônios no organismo. A oração continuada desacelera os batimentos cardíacos, o ritmo de respiração, baixa a pressão sanguinea e reduz a velocidade das ondas cerebrais, melhorando a condição física. Ele comprovou que pessoas que raramente iam à igreja tinham altos níveis de interleucina-6 no sangue, enquanto nos frequentadores assíduos esses índices eram significativamente mais baixos.

Fonte: Diário de São Paulo

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

OMG News : Igreja do Ministério de Louvor Hillsong está na mira da lei

Referência no louvor contemporâneo, a igreja do Ministério de Louvor Hillsong, a mais poderosa da Associação Australiana das Assembléias de Deus, famosa por canções como Shout to the Lord (Aclame ao Senhor), é acusada de ter se transformado em um dos maiores impérios financeiro-religiosos do mundo.

No Brasil, suas músicas são conhecidas pelo estilo atraente, dinâmico e vibrante. Tanto cá como lá fora seus CDs e DVDs são o expoente máximo da adoração contemporânea, que introduziu no gospel dos anos 90 o conceito de “adoradores extravagantes”. Mas cada vez mais, o Ministério Hillsong provoca desconfiança em seu país, a Austrália, onde 60% da população se diz protestante, nos Estados Unidos e Europa.

Isso porque as denúncias de abusos e escândalos parecem não ter fim. A começar pela administração daquilo que o ministério fatura. Se por aqui há um tremendo clamor por causa de irregularidades com alguns milhares de dólares, imagine lá, onde o Hillsong declara ter faturado no ano passado mais de US$ 70 milhões, mas usado apenas 2 milhões para os trabalhos sociais, principal destinação de suas entradas.

Além de ministério de louvor, Hillsong (ou Som das Montanhas, em português) é a mais poderosa das igrejas da Associação Australiana das Assembléias de Deus. Apesar da beleza e da profundidade de algumas de suas canções, como Shout to the Lord (Aclame ao Senhor, em português). a denominação é acusada de promover a Teologia da Prosperidade e ter se transformado em um dos maiores impérios financeiro-religiosos do mundo.

As acusações começaram no final dos anos 1980, mas ganharam força em 2000, quando o pastor William Francis Houston – pai do líder da igreja, pastor Brian Houston – confessou ter abusado sexualmente de um menino. Apesar de ter perdido sua credenciaI, a igreja abafou a polêmica e não relatou nada às autoridades locais.

O estilo de vida promovido pela igreja é outra fonte de perturbação. Bobbie Houston, esposa de Brian e pastora líder das mulheres, por exemplo, lançou recentemente uma pregação com o título: “As mulheres do Reino de Deus amam sexo”. Gravada em mp3 num dos congressos femininos internacionais da denominação, o que permite que seja baixada pela internet, a mensagem traz pérolas como: “Façam exercícios. Se estou gorda, sinto-me como uma retardada” e “Meninas, também não esqueçam das cirurgias plásticas e dos exercícios pélvicos”.

Finalmente; no ano passado, o Hillsong convidou o pastor Michael Guglielmucci, pastor de jovens da Igreja Planet Shakers, para participar da gravação de seu mais novo álbum This is Our God (Este é o Nosso Deus). Guglielmucci dizia sofrer de câncer terminal desde 2006 e causou enorme comoção ao aparecer cantando a música The Healer (Aquele que Cura) com um tubo de oxigênio no nariz. Em seguida, porém, não agüentando uma crise de consciência, ele revelou a verdade: “Não tenho nenhum câncer. Forjei a história e enganei até minha esposa e família para encobrir minha verdadeira doença: sou viciado em pornografia. Esse problema, sim, abalou minha saúde e me debilitou emocionalmente”.

Saiba mais sobre o Hillsong

A Igreja Hillsong é uma Igreja Cristã Pentecostal do movimento da Assembleia de Deus situada em Sydney e em Brisbane, ambas cidades da Austrália, sendo a ultima sua capital. Foi fundada efetivamente em 1983 sob o nome de Hills Christian Life Centre por Brian Houston e sua esposa Bobbie. Era pastoreada anteriormente pelo pai de Brian, Frank Houston com uma congregação pequena sob o nome Sydney Christian Life Centre. Quatro anos depois já alcançava 900 membros.

Atualmente a Hillsong possui igrejas espalhadas pelo planeta que incluem duas Hillsong Londres no Reino Unido (uma na região oeste da cidade e outra na região leste), Hillsong Kiev na Ucrânia, Hillsong Moscou na Rússia, Hillsong Paris na França, Hillsong Cape Town na África do Sul e Hillsong Estocolmo na Suécia, além de pequenos grupos (futuras igrejas) nas cidades de Berlim na Alemanha , Barcelona na Espanha, Minsk na Bielo-Rússia e Flórida nos Estados Unidos da América.

Seu Ministério de Louvor Hillsong Music Australia é mundialmente conhecido, e sua líder Darlene Zschech tornou-se referência no louvor contemporâneo. Desde 1992, o ministério já lançou 40 álbuns.

Num culto de domingo, podem ter até 35.000 pessoas na igreja de Sydney. A igreja incorpora dois centros de adoração principais, uma rede municipal de Conexão de Grupos e muitos que contribuem em serviços e ministérios. Estes incluem a Hillsong Music Australia, Hillsong Foundation, Hillsong Network, Hillsong Conference e o Hillsong International Leadership College.

O ministério também conta com os líderes Joel Houston, Reuben Morgan, Marty Sampson e Miriam Webster. Suas canções constantemente são cantadas nas igrejas brasileiras, como "Aclame ao Senhor" gravada pelo grupo Diante do Trono em 1998, Blessed, Mighty to save, At the cross e Take it all, que nas versões feitas por Aline Barros chamam-se Bem-Aventurado, Poder pra salvar, Diante da cruz e Tudo é teu, respectivamente. E também "One Way", "All Day", "Take All of Me", gravadas pelo grupo Freakz Louvor Jovem com o nome de`"Único Caminho", " Sempre" e "Toma Todo Meu Ser".

A primeira vez em que o Ministério Hillsong Music Australia esteve no Brasil, foi em 2003 no mês de dezembro, no congresso de Louvor e Adoração "Rio de Adoração a Deus", promovido pela Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul, que tem sua sede no bairro do Flamengo, Zona Sul Carioca. Em 2008, o ministério esteve no Brasil em uma turnê que abrangeu os estados de Santa Catarina, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

O grupo de jovens da igreja também tem uma banda própria, a Hillsong United. Em 2006 a banda United esteve no Brasil e fez duas apresentações: uma em Brasília (22 de Setembro de 2006) e em Sao Paulo (23 de Setembro de 2006).

Durante o evento Mais Que Música 2006 em Portugal, a banda Hillsong United atuou durante os dias 20, 21 e 22 de Outubro de 2006, em Loures. Em 22 de maio de 2007 lançaram seu novo cd All of the above. Em 2007 eles retornaram ao Brasil se apresentando em São Paulo (28 de julho de 2007), Rio de Janeiro (30 de julho de 2007), e Belo Horizonte (31 de julho de 2007). Durante essa turnê de 2007, foram gravadas as canções The Time Has Come em São Paulo e From The Inside Out no Rio e Janeiro, além da música Tell the World o projeto fará parte do novo cd da Banda nomeado With Hearts as One, que é parte do projeto The I Heart Revolution que inclui o DVD dos Shows que constituem o cd e um documentário. Em turnê no ano de 2008 pelo Brasil,Hillsong promeveu tres shows,que ocorreram em Brasilia-Esplanada dos Ministérios,Balneário Camboriú,e o terceiro que ocorreu no Rio de Janeiro[15/11/2008] na Praça da Apoteose .Darlene e cia fizeram uma ótima apresentação,cantando seus maiores sucessos, como:Hosanna, The time has Come e Break Free. O show foi de graça.

Fonte: Revista Eclésia e Wikipédia

OMG News : SBT vai processar canal que passou a transmitir a programação evangélica

O diretor executivo do Sistema Brasileiro de Televisão - SBT, Guilherme Stoliar confirmou a coluna do jornalista Daniel Castro, da Folha de São Paulo que irá entrar com uma liminar contra a TV Alagoas canal 5 no Estado, que desde a última segunda deixou de transmitir a programação do canal para fazer parte de uma Rede Evangélica comandada por Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus.
Além de entrar com uma liminar o Guilherme Stoliar teve uma audiência com o ministro Helio Costa, das Comunicações para discutir a invasão das igrejas evangélicas na TV brasileira. A TV Alagoas culpou em um editorial a falta de repasse de recursos do governo estadual como uma das causas para a venda da programação.
Histórico
O pastor evangélico, Valdemiro Santiago de Oliveira é e fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus. Formado pela Ordem dos Teólogos Evangélicos da América Latina e pregador evangélico há mais de 30 anos e começou seu ministério na Igreja Universal do Reino de Deus.
Durante o período em que foi bispo da IURD alcançou destaque entre os demais pastores daquela igreja, tendo sido considerado um dos potenciais sucessores de Edir Macedo. Desligou-se da Universal após problemas com a liderança, e alguns dias depois fundou a Igreja Mundial do Poder de Deus, que absorveu parte dos membros da IURD, e hoje conta com mais de 1400 templos espalhados pelo Brasil, sendo a sua maioria no Estado de São Paulo.
Ele arrendou a Rede 21 junto ao grupo Bandeirantes e desde então vem aumentando sua atuaçãoao alugar emissoras de Tv em várias capitais do Brasil.
Fonte: Primeira Edição – Alagoas

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails